Crise no casamento é representada por ameaça e oportunidade, decisão e ponto de virada. Ela usualmente ocorre quando uma quantidade incomum de stress ou conflitos não resolvidos elevam o nível de ansiedade do casal de tal forma que se torna intenso demais para ser administrado pelos cônjuges, fator este que resulta em brigas incessantes no casamento.

Como resultado das brigas no casamento: raiva, ressentimento, insatisfação, frustração e desesperança assumem o controle do relacionamento. Neste ponto o casamento pode culminar para dois caminhos, a saber:

  • um dos cônjuges ou o casal desiste de lutar pela restauração da família, considera que a culpa é do outro e decide ir à procura de um novo amor, ou seja, outro round com a mesma dinâmica;
  • outros conscientes do valor e importância da família entendem que toda crise pode ser uma ponte para mudanças, novo começo e ainda gerar oportunidades e então decidem lutar.

Vale ressaltar que não basta lutar, para ganhar esta batalha táticas emergenciais precisam ser adotadas, não é a hora de olhar e achar que as coisa irão melhorar sozinhas. Muitos casamentos poderiam ser salvos se somente um ato heroico fosse tomado.

crise no casamento

Então, casamento em crise como resolver? Seguem 11 dicas que podem te ajudar:

1) Tenha um senso de urgência e reconheça que seu casamento está em perigo. Busque ajuda de um pastor, de um conselheiro ou de um coach de relacionamento que advogue em prol do casamento e da família. Amigos e familiares são sempre bem vindos, mas não neste caso. Eles certamente tomarão partidos e não ajudarão a resolver o problema. Não existem fórmulas mágicas ou receitas para salvar casamento. É preciso trabalhar problema por problema, dando a devida importância para cada um e vocês dois sozinhos não conseguiram. Faça a seguinte analogia: um doente precisa de um médico, de acompanhamento e de um remédio, assim como um casal em crise. Vá além, faça o que é necessário;

2) Mesmos quando as coisas parecem insuperáveis e você se sente sem esperança não se pode perder a visão: o que Deus uniu ninguém separe – MC 10:9. Não subestime o poder de Deus e lembre-se que Ele é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, Efésios 3:20.

3) A palavra divórcio deve ser banida da sua cabeça e todas as pessoas que te aconselham a tomar esta decisão devem ser excluídas, eliminadas, banidas e extinguidas da sua vida. Você já ouviu a expressão militar: render-se não é uma opção? Quando o capitão de um navio se dirigia para a batalha – onde a rendição definitivamente não era uma opção – ele dava ordem para pregar a bandeira do seu país no mastro. Depois que as bandeiras foram pregadas no alto, durante a batalha, não havia como abaixá-las e levantar a bandeira da rendição. Quando a equipe percebia que não havia opção a não ser lutar, eles se tornavam mais determinados a vencer a batalha. Esta é a mesma mentalidade que devemos ter no casamento. Nossa única opção é manter a nossa posição, lutar com carinho e determinação contra as coisas que nos separam e encontrar uma maneira de fazer o casamento dar certo. (Dr. Norm Wright, do livro One Marriage Under God);

4) Mude as atitudes imediatamente, tudo aquilo que os levou a esta situação deve ser cessado, sendo assim, comunicar é fundamental: este é o momento, de com a ajuda de um conselheiro, pastor ou coach de relacionamento abrir as linhas da comunicação. Isso significa que não há mais gritos, menosprezos e muito menos código de silêncio. Este é um momento para começar a se re-treinar para fazer as coisas de maneira diferente e mudar palavras e comportamentos ofensivos. Até aqui suas atitudes não funcionaram tão bem, se estivessem funcionando o casamento não estaria em crise: lembre-se casamento é sobre: parceria, compreensão, amor, benignidade, mansidão, domínio próprio, bondade, carinho, muito carinho.

 

5) Concorde em parar o conflito, simples assim. Concorde que vocês não irão brigar por nada, e vão deixar de lado questões importantes até que vocês tenham aprendido as habilidades necessárias para falar sobre elas de uma maneira respeitosa. Concorde em acabar com a defesa, para que cada um possa realmente ouvir as necessidades e preocupações um do outro. (Dr. David Hawkins, por “Nós amamos o Senhor, mas somos cruéis para Entre nós”).

6) Concordem em remar para a mesma direção, independente do que aconteça. . O que você está tentado fazer aqui é estabilizar o casamento para que não seja causado mais ressentimento;

7) Comece resolvendo um conflito de cada vez (lembre-se busque ajuda) sem pressa. Este pode ser um processo moroso, lembre-se: vocês não chegaram a este estágio da noite para o dia, portanto as brigas também não serão sanadas da noite para o dia. Enquanto vocês processam os conflitos você pode se sentir desanimada e achar tudo isso muito difícil, mas isso é parte do processo. Não desista. Lembre-se que Jesus sofreu foi tentado, mas não desistiu;

8) Use o remédio correto para cada machucado, e acima de tudo acrescente bom humor a este processo;

9) Leia bons livros, sugerimos As 5 Linguagens do Amor do Dr. Gary Chapman, Entre Lençóis do Kevin Leman, Família: Lugar de Refúgio ou Campo de Batalha da Dra. Ilma Luci Gomes Cunha;

10) Controle suas emoções e não deixe pensamentos negativos o dominar. Quando um casamento é inundado de emoções negativas, como é o caso durante a maioria das crises, há uma propensão ao esquecimento das boas qualidades que o atraíram para o seu cônjuge. Seus sentimentos positivos são soterrados por tantas mágoas e obstáculos que dificilmente você encontrará o caminho de volta. Nós nos distanciamos dos sentimentos positivos para sobreviver. Este é um aspecto natural da negação. A boa notícia é que os sentimentos positivos muitas vezes ainda estão lá, mas eles estão enterrados sob a ruína de palavras duras, ações degradantes e comportamento distante. Devemos nos reconectar àquelas qualidades maravilhosas que atualmente estão adormecidas. Esses sentimentos positivos podem ajudar a formar a base da ponte que nos permite encontrar o caminho de volta ao nosso companheiro;

11) Esqueça o orgulho, este é tempo de humildade. Seja humilde o suficiente para reconhecer o seus erros. A humildade juntas os casais, enquanto o orgulho separa.