Libido. Os caminhos para ativar e aprimorar o poderoso impulso do desejo

Libido e sua importância na relação do casal
A libido consolida o desejo

Libido é um tema recorrente na mente de todos, até de quem não sabe direito do que se trata, pois por mais íntimo que seja, a libido está associada aos princípios da relação humana.

Antes de começar a ler este artigo precisamos que você, esposa, entenda que: Deus não apenas criou o sexo, como deixou um mandamento…

Na primeira vez em que falou ao homem, a ordem foi: “Sejam férteis e multipliquem-se!” (Gn 1.28), algo que só é possível através do sexo.

Se você tem um entendimento claro de que o sexo dentro do contexto do casamento foi criado por Deus te convidamos a seguir com a leitura deste texto: feito de esposas para esposa, esclarecedor, cheio de revelações e principalmente escrito à luz da bíblia.

Libido é uma incógnita para a maioria, que simplifica sua definição à palavra desejo, embora o desejo seja a ponta resultante final do princípio da libido.

A verdade é que o desejo nasce da libido, e não o contrário.

Qualquer tema relacionado à intimidade assume uma certa delicadeza, até porque a maior parte das pessoas tem, naturalmente, um certo pudor para falar de certos assuntos.

Por ser muito particular e personalizada, a sexualidade é um destes temas mais reclusos, onde tudo funciona de uma forma similar para todo mundo, mas as pequenas diferenças, são suficientes para que as pessoas se reservem e mantenham um certo bloqueio quando o tema vem à pauta.

Como você está lendo e, provavelmente, está sozinha diante deste conteúdo, nos sentimos à vontade para avançar um pouco e aprofundar nossas considerações sobre a libido, para que você compreenda de onde vem, para onde vai, como funciona, as causas e consequências do impulso poderoso que constrói o desejo que une pessoas.

Vem com a gente.

Libido é um impulso associado à evolução a partir da união

Onde o prazer começa
O esplendor do prazer brota da libido

Libido tem sido estudado com profundidade por diversas vertentes da ciência, onde se destaca, a psicologia, associada à neurologia.

Libido também tem um grupo fiel de aficionados nos estudos dos seres enquanto indivíduos da sociedade, o que faz com que seja possível encontrar abordagens bem esclarecedoras na sociologia e na antropologia.

A psicologia e a antropologia concordam completamente quando afirmam que a libido tem um papel central na proliferação e preservação da espécie humana, pois é o princípio do desejo que carrega os casais à realização da intimidade.

Você que é mulher, entende que os processos que acontecem em seu corpo e em sua mente, por mais que você não domine, estão todos relacionados, entre si, para deflagrar o surgimento e a intensidade de sua libido.

Freud definiu a libido como uma energia sexual poderosa, associada ao desejo e ao prazer, que agem nuns indivíduos em relação a outros, proporcionando a consumação da intimidade, gerando mais que a vida, pois a libido tem o potencial de estruturar relações, como o casamento.

Freud vai mais além quando afirma que a libido não está associada exclusivamente à sexualidade, pois segundo seus estudos, é a sexualidade que está associada à libido, pois é possível encontrar a sexualidade manifestada de diversas formas além da intimidade.

A sexualidade pode ser expressada, principalmente, através da arte, com músicas, esculturas, peças de teatro, pinturas, todos os tipos e formas de expressão humana, de um jeito ou de outro, possuem o potencial de manifestar sentimentos e emoções, e este é um caminho de vazão para a sexualidade humana.

Carl Jung é mais definitivo na sua definição de libido, pois para ele, a libido é a totalidade do homem e a parcialidade da mulher.

De forma mais clara, ele quer dizer que o homem é intensamente libido, enquanto a mulher é intensa em sua libido, mas em tempo parcial, não na íntegra.

A definição é interessante, pois considera a forma dinâmica do funcionamento do cérebro da mulher, que atua em diversos assuntos, é multitarefa e programada para ter o foco voltado à tantas questões essenciais ao mesmo tempo.

A mulher sente e tem seus desejos e interesses íntimos intensos, por vezes, avassaladores, mas a mulher precisa reservar espaços para temas vitais como maternidade, trabalho, família, casa e com a sua imagem e das pessoas de sua relação.

É possível que alguém levante a tese de que o homem também tem estas preocupações, mas não sejamos hipócritas, pois todo mundo sabe o poder que a libido e a sexualidade exercem sobre o instinto masculino, onde tudo acontece de forma quase automática, pois por maiores que sejam os problemas, o homem parece ter uma espécie de botão, onde basta o acionamento, para o seu interesse se direcionar, instantaneamente, para a intimidade.

É neste ponto em que o tema fica complexo e, ao mesmo tempo, interessante, pois temos que interpretar um determinado impulso, no caso, a libido, atuando sobre indivíduos iguais em essência, como as mulheres.

Agora imagine, além das diferenças existentes entre cada mulher e o impacto que a libido tem em cada uma, ainda termos que avaliar este efeito num ser essencialmente diferente, no caso, o homem?

Desafiador e empolgante, e este é nosso desafio através deste artigo e é nesta direção que nos propomos a entender os mecanismos da libido, compreender sua ação em nosso comportamento, tudo de maneira abrangente, de forma que você possa se localizar dentro destas informações, e retirar dali, o conhecimento que precisa para lidar melhor com sua libido, seu desejo, seu potencial sedutor, para ter a libido como sua aliada na consolidação de um casamento feliz.

Libido e a intimidade conjugal

Intimidade conjugal
A intensidade do amor

Conforme a bíblia, a intimidade conjugal tem o poder de unir duas pessoas em uma só carne (Mc 10.7-9, Ef 5.31), portanto o sexo é a sublimação do amor e nele a libido é agente determinante da saúde daquela relação.

A importância da sexualidade no sucesso de uma relação, na consolidação de um casamento, não é uma questão opinativa, pois de fato, a intimidade conjugal, de acordo com o seu grau de plenitude, tem o poder de transformar um casamento, tanto para o bem, quanto para o mau.

O primeiro passo para ter na intimidade conjugal um fator realizador da relação, é lidar com ela de frente, com clareza, sem subterfúgios, desvios, esconderijos ou qualquer espécie de falsidade.

É preciso entender que SIM, a sexualidade e o desempenho íntimo do casal estão diretamente ligados à qualidade geral do casamento.

É claro que um casamento é feito de muitos outros fatores, como as responsabilidades, a família e seus personagens, o desenvolvimento pessoal e profissional dos envolvidos, a saúde, a convivência, são inúmeros os fatores determinantes da qualidade de um casamento.

O que não podemos ignorar, é que oscilações em qualquer um destes aspectos, podem perturbar a relação em algum nível, mas a intimidade conjugal, quando não está sintonizada e funcionando próximo da plenitude, para ambos, deixa uma lacuna, um vazio na relação, que com o tempo, se torna incontornável e destrói o casamento.

Você pode alegar que existem inúmeros casos de pessoas que se conformam e relevam este tipo de problema, deixando a intimidade conjugal em terceiro ou oitavo plano, dando ênfase a outros aspectos, como os sociais, profissionais, existenciais, mas nós estamos aqui falando, exatamente, de CASAMENTOS FELIZES e o que é necessário para realiza-los.

Um casamento sem intimidade conjugal satisfatória, não deixa de ser uma relação “de fachada”, e nosso objetivo, é ajudar as pessoas a atingirem a felicidade verdadeira em seu casamento, e não um jogo de aparências que faz tanto mal.

Chegando até aqui, conseguimos avançar para a etapa em que todos reconhecemos que a intimidade conjugal é elemento determinante para o nível de felicidade do casamento.

Se você concorda com isto, então podemos avançar no nosso estudo.

São muitos os fatores que interferem na intensidade do prazer

Libido e o amor
Os ingredientes da libido

Quando falamos em intimidade, mais especificamente, em sexo, como um ato humano, consideramos as diferenças de estado de ânimo entre homens e mulheres.

Para você, que é mulher, ao mesmo tempo em que lidar com a libido é um processo mais complexo, pelas múltiplas facetas que constroem a libido feminina, em compensação, é mais fácil de estabelecer uma linha produtiva de compreensão, pois você compreende o que estamos falando…

Para uma mulher, é difícil controlar os elementos que envolvem sua libido, mas é fácil compreender o que interfere na sua realização.

O que podemos saber de antemão, e que vai nos ajudar na compreensão dos caminhos para melhorar nossa relação com a libido, é que a libido não é tudo, mas quando ela acontece, tem o poder de abençoar uma relação.

Existem alguns elementos de ordem psicológica que são determinantes para os níveis de intensidade e qualidade da libido feminina e é importante conhecer estas variáveis, pois a soma delas determinará seu nível potencial de libido.

Autoestima

Amar a si
Merecer amar a si

A Bíblia nos ensina que fomos criadas a imagem e semelhança de Deus, por isso o nosso valor é superior a um rubi.

A forma como uma mulher se sente é determinante para a forma como ela se posiciona diante da vida.

Até no andar é possível decifrar situações essenciais de uma mulher.

A autoestima, é um destes elementos psicológicos de maior relevância na construção do estado de ânimo, e por consequência, na libido feminina.

Se uma mulher não se ama, está desconfortável com sua aparência, seu desempenho pessoal e profissional, suas relações, sua autoestima vai ao chão, a ponto de pessoas mais sensíveis conseguirem perceber.

Independente da percepção dos outros, um dos impactos mais definitivos causados por uma autoestima baixa, é diretamente sentido na relação desta mulher com a sua libido, pois ela praticamente desaparece.

 

Não existem aditivos que substituam a autoestima de uma mulher para a intensificação de sua libido.

Uma mulher, para ter vontade e desejo íntimo, precisa, necessariamente, estar se sentindo minimamente bem consigo mesma, segura de sua aparência, satisfeita com diversas variáveis de sua vida pessoal e profissional, pois se isto não acontece, o desejo simplesmente desaparece.

O cortejo, o ato de dar flores, de fazer poesias, de vangloriar qualidades, de dedicar atenção, de valorizar a existência das mulheres, são mecanismos sociais que o homem utiliza, através da história, para aprimorar o sentimento de autoestima da mulher, pois é com esta valorização, que a libido tende a se manifestar, provocando o desejo e levando à consumação.

A autoestima, portanto, já é identificada e reconhecida como o principal fator de construção da libido.

Saúde física e mental

Equilíbrio entre corpo e mente
A integridade do corpo e do pensamento

Amada, desejo que te vá bem em todas as coisas e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma. 3 João 1:2 

A plenitude da saúde também significa plenitude da libido.

Não é apenas a saúde que determinará os níveis de libido de uma mulher, mas a doença, por si só, é um fator importante de debilidade de muitas maneiras.

Uma pessoa que possui problemas de saúde, de qualquer tipo, no mínimo, terá um fator de desgaste de sua autoestima, o que irá interferir em seus níveis de libido e desejo.

Sem contar com os impactos efetivos e diretos do problema de saúde, como desconforto, dor, preocupação.

Para que a libido se manifeste, o organismo precisa de boas condições físicas e mentais, pois não há como dissociar o que ocorre com o corpo, de seu reflexo direto na mente, e tudo o que não soma, em termos de libido, subtrai.

Os níveis hormonais precisam estar ajustados para que a libido aconteça, pois são as misturas químicas do organismo, regadas a hormônios, que produzem as sensações humanas, principalmente a libido e o desejo que dela nasce.

Uma condição mental adequada e equilibrada, também é determinante para a qualidade da libido, já que qualquer interferência no estado de espírito e de compreensão consciente ou não, tem poder decisivo de ampliar ou diminuir a libido.

Segurança

Sentir-se segura
A importância de se sentir segura

É da evolução que a mulher se sinta mais ativa sexualmente a partir de uma maior sensação de segurança, o que dá maior confiança na vida e no seu potencial de realização.

Uma mulher insegura aponta seu pensamento, quase que exclusivamente, para a direção da solução dos problemas que a deixam naquele estado de incerteza e perspectiva, o que afeta diretamente sua sopa hormonal, retirando seus ingredientes que dão origem à libido.

Valorização pessoal

Dar valor a si mesma
Conhecer seu próprio valor

Um dos fatores que mais interferem na construção de uma autoestima elevada, e por consequência, de uma libido positiva, é a convicção de que a mulher não se sinta um objeto inanimado, que serve apenas para aquela função de proporcionar prazer ao seu marido.

Ser parceira e encontrar a parceria de seu marido, é ponto crucial para que os níveis de libido feminina estejam ativos para a promoção do desejo e a realização da intimidade conjugal.

Harmonia

Harmonia e a libido
A frequência da libido

O casal precisa estar harmonizado, sintonizado numa mesma frequência para o amor, falando um mesmo idioma e aptos a desenvolver um mesmo processo íntimo.

Por mais que seja atraente, o estranho também assusta, sobretudo, a mulher.

A intimidade, para a mulher, não é um acontecimento, como é percebido pelo homem, pois para a mulher, o sexo é um evento, cercado de preparações, ambientações e realizações, para que tudo evolua naquela direção, seguindo cada passo, até chegar à consumação e levar ao ápice.

Qualquer alteração no processo mental feminino durante esta trajetória, tem potencial de desligar sistemas, em parte, ou no todo, comprometendo a libido, o desejo e o ato.

Um dos principais elementos para a manutenção desta trajetória ritual de construção do prazer, é a harmonia plena entre os parceiros, pois tudo o que a mulher sente, é reflexo daquilo que ela tem potencial de fazer o outro sentir.

Um lar conflituoso é sinônimo de assassinato da libido, principalmente feminina.

Ignorância

Quando ignorar ajuda
Quando ignorar castra a libido

Um dos fatores decisivos de castração da libido, é a ignorância, a falta de conhecimento sobre como os processos funcionam em seu corpo e em sua mente.

Em Oséias 4:6 a bíblia é categórica em afirmar que perecermos por falta de conhecimento.

A expressão “ignorância” não está associada à ofensa, ao destrato, e muito menos, à agressão.

Nossa abordagem sobre ignorância, está associada a “não saber”, desconhecer, ignorar.

O sexo e a intimidade, embora sejam elementos inerentes a todos os seres vivos, sobretudo os mamíferos, para os humanos, possuem percepções muito complexas, até porque, somos diferentes, mesmo sendo iguais.

A forma como as coisas acontecem em cada um de nós são idênticas, mas a maneira como compreendemos estes acontecimentos, variam de acordo com nossa percepção, nosso conhecimento e nossa forma de vermos a vida.

É aí que a ignorância provoca seus maiores estragos, pois o espaço do “não saber” abre portas para aceitar qualquer coisa como verdade, inclusive, os maiores absurdos.

É nesta lacuna que nascem e se estabelecem os tabus, as crendices, os mitos e as inverdades, que nos “dique me disque” das ignorâncias, se propagam, causando estragos avassaladores na forma como as mulheres enxergam a si mesmas e a sua relação com seu parceiro de intimidades.

Enfrentando com força os inimigos da libido

Vencendo os inimigos da libido
Vencendo os inimigos da libido

Libido é um caminho de consolidação do desejo, e no caso da mulher, evolui ou se retrai em resposta a um conjunto de fatores, que atuam direta ou indiretamente no estado geral de corpo e mente, preparando ou afastando o desejo íntimo.

A forma mais decisiva de agir de maneira consciente sobre os fatores que proporcionam maiores ou menores níveis de libido, é em primeiro lugar, conhecendo cada um destes elementos, aprendendo a lidar com eles e construindo uma vida que esteja mais direcionada a proteger a libido, compreendendo que se trata de algo precioso na construção e realização de um casamento feliz.

Fuja para onde quiser, se esconda atrás de sua própria sombra, mas você precisa e pode lidar com isto.

Vencer as barreiras está a seu alcance e você tem tudo o que necessita para criar condições e ambientes adequados para a manifestação de sua libido e desejo.

Talvez falte coragem no início, mas acredite, ela vem naturalmente com o conhecimento.

O “saber” ilumina a escuridão e o medo vai embora.

Será através do conhecimento que você entenderá o funcionamento de seu conjunto de corpo e mente, e é lá, nas esferas do saber, que estão as respostas específicas para seus problemas de desenvolvimento da libido, do desejo e da intimidade.

É no conhecimento que estão todas as respostas.

O conhecimento é que vai ajudar na sua compreensão da autoestima, fazer você entender o que eleva seu nível de satisfação pessoal, encontrar as formas de não deixar o seu sentimento de plenitude ser abalado.

É o conhecimento que vai alertar para a importância dos cuidados com a saúde, com seu corpo, com sua mente, oferecendo a compreensão do que é relevante para que nada interfira na estabilidade de sua libido.

É o conhecimento o construtor da segurança, pois somente o conhecimento dá a confiança sobre o que se acredita e apenas isto constrói a personalidade firme e segura que você necessita e merece.

O conhecimento eleva sua sabedoria, e quando somos mais sábios, começamos a tornar a nossa valorização pessoal mais independente da opinião dos outros, o que também fortalece nosso ímpeto e libido, elevando nosso desejo.

O conhecimento que constrói a sabedoria, que nos dá segurança, nos proporciona uma maior valorização pessoal, acaba por nos tornar melhores, não apenas aos nossos olhos, mas aos olhos dos outros, o que nos leva, naturalmente, a sermos uma fonte maior de admiração, sem empáfia ou arrogância, pois é o caminho natural de nossa nova posição diante da vida.

Esta condição começa a aprimorar nossa harmonia com o mundo em geral, em especial, dentro de nosso casamento, com seu marido, levando ao caminho certo para a plenitude.

Por fim, o conhecimento é o remédio direto para a cura definitiva da ignorância.

É o conhecimento que vai abrir as portas para o saber, iluminando os cantos escuros das dúvidas, transformando você numa nova mulher, completa, firme, segura, senhora de si, pronta e perfeita para ser amada, em plenitude, sem lascas ou cascas, completa, dinâmica, admirável.

De qualquer forma, tudo o que acontece conosco é processado e controlado por nossa mente, e libido é um processo que evolui a partir daquilo que pensamos, mais precisamente, daquilo que desejamos.

O pensamento também precisa ser treinado para proporcionar aquilo que é positivo em nossas vidas.

É na mente que se dá a origem das decisões e escolhas.

Você mulher, que possui um processo de libido mais complexo e dependente do conjunto de suas relações, decida por alimentar os pensamentos que levam ao desejo, com o cuidado de quem entende os limites do que é saudável e o que é vulgar, mas não se prive de abastecer sua libido a partir do direcionamento de seus pensamentos.

Permita o desenvolvimento do desejo saudável por seu marido, imaginando, criando expectativa, tentando decifrar estes deliciosos mistérios do amor.

É a força do pensamento que alimenta e consolida a libido.

Tudo isto, retroalimenta sua inspiração, seu fervor, seu “sentir bem” e isto reverte na explosão de seus hormônios de satisfação e prazer, agindo diretamente, não mais na sopa de sua existência, mas no coquetel de sua libido, para que junto com seu marido, vocês possam beber o prazer e o desejo, intensificando sua intimidade conjugal, fazendo disto, o energia de consolidação de um casamento feliz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *